COOPERATIVAS
 se mantêm FORTES em tempos de crise.

Encontros Regionais levam propostas para Plano de Trabalho 2020

Durante todo o mês de julho, a primeira rodada de Encontros pelas diversas mesorregiões de Pernambuco colaboraram para programar e alinhar um pensamento estratégico, juntamente com uma formulação do plano de trabalho já visando o ano de 2020. Nos três eventos que reuniram lideranças cooperativas de vários municípios, cada gestor colaborou com o seu pensamento sobre gestão e auxiliou a direção do Sistema OCB/PE a coletar demandas, que podem ser desenvolvidas durante a próxima legislatura, de olho no desenvolvimento da gestão e da governança de cada cooperativa. Em todos os Encontros, o presidente do Sistema OCB/PE, Malaquias Ancelmo de Oliveira, juntamente com a superintendente do órgão, Cleonice Pedrosa, coordenaram a movimentação.

Dentro do período, em cada data diferente, foram escutadas lideranças da Zona da Mata, Região Metropolitana e Agreste, respectivamente. Para ajudar na captação de demandas e explorar o pensamento estratégico dos dirigentes, o Sistema OCB/PE convidou o moderador de processos participativos, Sérgio Cordioli. Ele cativou o público a pensar em estratégias de trabalho na qual coloquem o cooperativismo em maior ascensão, além do foco nos próximos passos a serem traçados, visando uma posição de singularidade no mercado. De acordo com a explanação do consultor, existem alguns passos a serem percorridos para ter sucesso nessas metas: manter a liderança e o apoio da alta direção; capacitar, mobilizar e animar uma rede de gestores de olho na gestão estratégica; medir e comunicar resultados; além de celebrar e recompensar as pequenas e grandes vitórias.

Ao final da explanação foram formados pequenos grupos dentro de cada Encontro, onde os cooperativistas, dos mais diferentes ramos do cooperativismo, poderiam conversar para expor o seu pensamento sobre estratégia e o que poderia ser feito para colocar a seu negócio em um patamar cada vez mais elevado.

Em todos os grupos, a qualificação dos colaboradores e cooperativas foi uma máxima. Entre os trabalhos mais solicitados, nas mais diversas regiões, estavam o fortalecimento do Programa de Desenvolvimento da Gestão Cooperativista (PDGC), cursos dos processos assembleares, marketing digital, além de atividades que coloquem as cooperativas para trabalharem juntas, estimulando a intercooperação não só em atividades sociais, mas em econômicas, fato de auxílio na competitividade do mercado. Todas as propostas de cursos e eventos, visando uma posição estratégica no futuro, foram repassadas a diretoria do Sistema, que participou de forma ativa no Encontro. O material será editado e integrará o Plano de Ação 2020, que será apresentado ao público cooperativista no mês de novembro.

De acordo com Malaquias, cada encontro era o momento de planejar o futuro, perguntar aos dirigentes o que pode ser realizado para uma melhor promoção da cultura cooperativista, com foco na disseminação dos valores e princípios do cooperativismo. Ele também lembrou da história de evolução cooperativista e como os diversos segmentos da modalidade de trabalho fazem parte de uma estrutura autogestionária.

“O cooperativismo é um movimento mundial e existe em todas as formas de governo. Ele é feito na forma em que a lei manda, não podendo ser feito de qualquer jeito. E, hoje, possibilita a felicidade de um grande número de pessoas, que se juntam com a mentalidade da busca o bem comum. Em cada Encontro, estamos exercitando a busca desse bem. Até porque aqui estamos juntos para pensar em alternativas que podem fazer a diferença dentro do nosso ambiente social”, explicou Malaquias Ancelmo de Oliveira.

Uma prática realizada por Sergio durante todas a reuniões foi de alertar ao público a importância de sempre buscar ferramentas que ajudem a pensar o planejamento sistêmico e avaliar os ganhos. “Não é toda a estratégia elaborada que conseguirá ser realizada. Esse processo é normal. Necessitamos priorizar os projetos segundo alguns critérios de trabalho e definir uma sequência temporal de implementação com base em um cronograma. Dessa atividade é importante monitorar e avaliar a execução sistematicamente. A partir daí, efetuar, em tempo hábil, os ajustes necessários do nosso plano”, recomendou o especialista.

A prática de unir os dirigentes por regiões acabou agradando bastante ao público. De acordo com a presidente da Coopconfec, Maria do Amparo, esse é um modo bem cooperativista de pensar no futuro. "Esse trabalho colocou dirigentes para conversarem, cada um falou de uma dificuldade vivida dentro das cooperativas, e assim pudemos conversar sobre trabalhos que o Sistema poderia apoiar com o intuito de fazer o cooperativismo do estado alcançar um patamar de qualidade ainda mais alto. Acho que o maior valor conquistado dentro desse Seminário foi o laço de união entre os cooperativistas, pois muitas facilidades e dificuldades cotidianas foram compartilhadas”, comentou a dirigente.

No mês de agosto continuará a rodada de Encontros. O na região do Sertão do São Francisco acontecerá na cidade de Petrolina, no dia 04. Já na região do Sertão do Pajeú está programado para o dia 18, na cidade de São José do Egito.

Vídeos

adidas superstar air max suisse nike roshe run suisse nike roshe run mbt suisse nike air force suisse ray ban suisse nike air max suisse louboutin suisse mbt geneve christian louboutin suisse new balance suisse cialis suisse viagra suisse kamagra 100 viagra suisse levitra suisse kamagra gel priligy suisse viagra generique